Formas de se inspirar novamente | 7 – O exercício “Uma câmera, uma lente”

posted in Artigos

Formas de se inspirar novamente | 7 – O exercício “Uma câmera, uma lente”

Não acho que esse seja um “exercício” – é mais uma filosofia de vida e fotográfica.

Novamente, eu acho que a criatividade vem das restrições. As restrições são a liberdade.

Como escrevi em um artigo anterior sobre “Estar paralisado pela análise” em ter muitas opções de câmeras e lentes por ai – Estou tentando simplificar o meu processo.

Então para este exercício você só está permitido a fotografar com uma câmera e uma lente durante um ano inteiro.

Se você acha que isso é muito radical, então comece de forma mais branda: faça o exercício por uma semana ou um mês.

É um grande exercício para te ajudar a simplificar sua vida como fotógrafo.

Se você está lendo este artigo, você é parte do círculo de 1% de pessoas mais influentes do mundo. Nós temos dinheiro suficiente disponível para compra uma câmera, enquanto milhões de pessoas no mundo estão com sede, fome e sem nem mesmo um lugar para morar.

Então temos um “problema de primeiro mundo” em que temos muitas câmeras e muitas lentes – e temos aquele nervosismo em não saber o que escolher.

E o que é “não saber o que escolher”? É a ideia de que temos muitas opções (digamos, diversas câmeras para fotografar) e não sabemos qual a câmera mais ideal para fotografar com.

Digamos que você tem uma DSLR (Canon 5D Mark III), uma Fujifilm x100, e uma câmera compacta qualquer. Todas são ótimas para diversas situações: Uma DSLR é ótima para trabalhos comerciais e para trabalhar com um ISO alto, a x100 é ótima para a maioria das fotos e a compacta uma ótima opção de bolso para se ter por perto em qualquer situação.

Mas vamos dizer que você tem o fim de semana inteiro disponível para fotografar pela cidade. O dilema então se apresenta: que câmera você deve levar com você?

Você começa a pensar nas vantagens de cada câmera, nas lentes, (no peso do equipamento, nas distâncias focais) e a vantagem de cada câmera. Você fica perdido com todas as opções e acaba levando todo seu equipamento.

E é claro, você acaba com uma mochila/bolsa pesada e acaba fazendo poucas fotos (seus ombros doem depois de andar com esse peso todo), e não aproveita muito a experiência.

Mesmo tendo duas câmeras com você ao fotografar é uma perturbação. Você vê uma cena interessante, e pensa (por um segundo) qual a câmera “ideal” para fotografar este momento? Nesse segundo pensando você pode ter perdido o momento mágico ou decisivo da cena.

Vamos dizer que você só tem uma câmera, mas tem duas ou três lentes na bolsa. A escolha aparece outra vez, você vê uma cena interessante na rua, mas fica paralisado por um momento pensando em que lente usar. Talvez a pessoa esteja muito longe para usar uma 35mm, então você coloca a 50mm. Mas enquanto você trocava de lente a cena se foi. Ou vamos dizer que você tem uma 35mm e entra em uma rua muito tumultuada, cheia, e coloca sua 28mm. Mas faz tempo que não usa a 28mm, então não tem certeza do quanto precisa estar próximo para que o assunto preencha toda a foto (logo as bordas da foto ficam vazias e bagunçadas).

Qual o benefício de fotografar com uma câmera e uma lente então?

Bem, tendo menos opções em termos de com o que fotografar – você tem menos stress. Você conhece muito bem a câmera com que fotografa diariamente (porque você só tem esta opção).

Portando se você tem muitas câmeras, você pode trancar elas em alguma lugar (tirar da sua visão, da sua mente), emprestar para algum amigo, ou simplesmente vender. Muitas câmeras e muitas lentes são uma distração.

Além disso, tendo uma câmera e uma lente, te faz conhecer a câmera e a distância focal muito bem. Cada sistema de câmera tem seus prós e contras, e não exista uma câmera perfeita ou ideal.

Como você sabe que aquela câmera é perfeita para você?

Não existe câmera perfeita – mas posso garantir que existe uma câmera que se encaixa em 80% das suas necessidades para fotografia de rua. No final das contas é uma questão de escolha pessoal.

Para a maioria dos fotógrafos de rua, acho que a FujiFilm x100T se encaixa em 90% das suas necessidades fotográficas. Pequena, compacta, lente não cambiável, viewfinder, e discreta. A Ricoh GR também é uma ótima câmera que atende cerca 80% das suas necessidades (pequena, compacta, sempre com você, não tem um viewfinder mas não chega a ser um problema). Se você tem dinheiro, uma Leica com uma lente 35mm é ideal. Ou se você não quer gastar dinheiro, você pode sempre fotografar com seu smartphone.

Escolhendo uma câmera que é “boa o suficiente” para suas necessidades é “satisfatório”. Uma câmera que supre 80% das suas necessidades.

O que muitos de nós tentamos fazer com nossa câmeras é encontrar a câmera que supre 100% das nossas necessidades. Mas essa câmera não existe. Esta é uma abordagem “maximalista” (que leva a mais stress, frustração e descontentamento).

Então por uma semana, um mês, ou um ano – tente ficar apenas com uma câmera e com uma lente. Suas composições e seus enquadramentos irão melhorar (você ficará acostumado com a distância focal), você terá menos stress (saberá com que câmera fotografar todas as vezes), e vai carregar menos peso.

Em termos de uma distância focal adequada, recomendo a 35mm para 95% dos fotógrafos de rua. Se quiser uma 28mm ou 50mm essas são boas opções também. Mas saiba que com uma 28mm você tem que chegar muito perto dos seus objetos e com a 50mm fica bem restrito (especialmente se viver em uma cidade muita densa, estreita).

Um texto de Erik Kim – Tradução livre por André Nascimento | Original em: http://erickimphotography.com/blog/2014/12/19/15-street-photography-assignments-re-energize-re-inspire/