Formas de se inspirar novamente | 4 – Subrair, subtrair, subtrair

posted in Artigos

Formas de se inspirar novamente | 4 – Subrair, subtrair, subtrair

Esse exercício é um desdobramento do anterior: você vai criar fotografias mais e mais minimalistas, remover as distrações da sua foto.

A ideia geral é essa: comece com uma cena que te interessa, e continue a subtrair do frame, até que você (quase) não tenha mais nada sobrando.

Por exemplo, você vê um cara bebendo cappuccino em um café e você quer tirar uma Street Photography dele. A foto que normalmente tiraria é uma foto na horizontal, que deve ter um monte de informações desnecessárias, desordenadas tanto a esquerda como a direita do frame.

Então você subtrai da esquerda e da direita, fotografando na vertical.

Agora você tem uma imagem muito mais simples: Você subtraiu a desordem dos dois lados do frame.

Agora você quer subtrair mais. Mas como?

Você percebe que não precisa incluir as pernas dele na foto. Então você dá uma passo a diante, e agora você fotografa na horizontal novamente. Agora você só tem a foto do seu peito até o topo da sua cabeça.

Você consegue subtrair mais? Pode apostar que consegue.

O que é realmente interessante sobre essa cena? Bem, o homem tem algumas texturas interessantes na mão, e o cappuccino tem um desenho interessante dentro do copo, uma forma legal. Então você chega ainda mais perto e dessa vez subtrai tudo da cena (menos o cappuccino e a mão do homem). Se sua câmera tem a função macro, é uma boa hora para usá-la.

O ponto chave desse exercício é tentar descobrir o quanto você consegue subtrair de uma cena e realmente capturar a essência da cena.

Existe muito ruído na fotografia (elementos que não acrescentam nada na cena). Ao invés disso procure por uma sintonia mais fina, os elementos que são interessantes de verdade.

Então quando você está fotografando na rua, o que acha realmente interessante? Foque nos detalhes.

Geralmente esse exercício envolve chegar mais perto da ação e das pessoas, do assunto da fotografia.

Como Robert Capa disse, “Se suas fotos não estão boas o suficiente, você não está perto o suficiente“.

E por chegar perto, você acaba ficando mais física e mentalmente íntimo do assunto da fotografia, e elimina a desordem.

Um texto de Erik Kim – Tradução livre por André Nascimento | Original em: http://erickimphotography.com/blog/2014/12/19/15-street-photography-assignments-re-energize-re-inspire/